PROGRAMAÇÃO

Palestra
CLUBE DE LEITURA CASA MÁRIO DE ANDRADE
Com Lucineide Vieira e convidados

Sábados, 28 de maio, 25 de junho, 30 de julho e 27 de agosto das 16h30 às 18h

 

Nos encontros do Clube de Leitura da Casa Mário de Andrade, os participantes terão oportunidade de conhecer o movimento de cordelistas que atuam para difundir esse gênero literário por meio de suas obras e ações. A cada encontro, um autor convidado fará uma breve apresentação de sua trajetória, seguida da leitura de um de seus cordéis. 


Organização: Josué Gonçalves de Araújo e Lucineide Vieira.

Mediação: Lucineide Vieira.


A atividade será transmitida por meio da plataforma Zoom.


A atividade será realizada presencialmente no auditório do museu, disponibilizando-se 20 vagas para participação presencial, a serem preenchidas por ordem de inscrição. Endereço: Rua Lopes Chaves, n. 546 - Barra Funda, São Paulo, SP.


Para realizar sua inscrição no formato online, clique aqui.

Para realizar sua inscrição no formato presencial para o dia 25 de junho, clique aqui.

O link do Zoom será enviado aos inscritos por e-mail. 


Cronograma das atividades:


- 28/05: Abordaremos o cordel São tantas as Marias, escrito por Maria Clara Psoa;

- 25/06: Apresentaremos o cordel O repente, de João Paulo Resplandes;

- 30/07: O autor João Gomes de Sá apresentará seu cordel O dragãozinho e Juvenal.

- 27/08: A confirmar.


João Paulo Resplandes de Oliveira nasceu em São Raimundo das Mangabeiras, MA, em 16 de abril de 1959. Filho de Nelson Neco de Oliveira e Luiza Resplandes de Oliveira, mulher das rendas de bilros. Enquanto viveu com a família, entre veredas e brejos dos buritis, foi vaqueiro, uma das representações mais cantadas em versos na cultura nordestina e lavrador, aquele que conhece os segredos da terra e das sementes. Está em São Paulo desde 1976. Escreveu e publicou pela Editora Luzeiro O Buriti, Cantoria e Gênios. Através da Editora Areia Dourada, lançou as seguintes obras: Sanfoneiros, Rabequeiros, Violeiros, Caiçara e Cantoria 2.  Pelo selo editorial EdiMaria lançou, A música, A escrita, Matemática, Cordel e O repente


Josué Gonçalves de Araujo nasceu em Marabá Paulista, mas viveu desde a infância na cidade de Mirante do Paranapanema, na região do Pontal do Paranapanema, em São Paulo, onde trabalhou como boia-fria nas épocas das colheitas de algodão ou de amendoim. De ascendência nordestina, desde criança ouvia histórias dos antigos folhetos de cordel. Já adulto, passou a escrever seus próprios poemas em cordel, como os textos: O Coronel Avarento, O Mistério da Pele da Novilha e Apagando as Pegadas, lançados pela Editora Luzeiro. Em 2010 foi um dos autores premiados pelo Ministério da Cultura com o poema Os Três Fios de Cabelo do Diabo. Desde 2015 está à frente da Editora Areia Dourada, onde lançou Macunaíma, o herói sem nenhum caráter em verso de cordel. Reside em São Paulo.


Lucineide Vieira da Silva Cipoli é formada em Pedagogia pela UEPB, e pós-graduada em Língua Portuguesa pela PUC/SP, onde redigiu um trabalho de conclusão de curso sobre "As Peculiaridades do Texto de Cordel". Trabalha na Rede Municipal de Educação de São Paulo, como POSL - Professora Orientadora de Sala de Leitura -, onde desenvolve um projeto de Organização de Sarau e coordena os Estudos Literários da AEL- Academia de Estudantes de Letras - Graciliano Ramos. Faz parte do Movimento Nacional de Mulheres Unidas em Combate ao Machismo e do Coletivo Teodoras do Cordel- artevistas SP, onde publicou ao lado de 18 cordelistas o Cordel Justiça Violada. É idealizadora e mediadora do Clube de Leitura Ler_Mulher e do Clube de Leitura de Cordel de São Paulo, que vem integrando a programação do Museu Casa Mário de Andrade.


Maria Clara Psoa é de Natal -RN, filha de Fernando Antônio Soares dos Santos (Nando Poeta) e Rosineide Pereira da Silva. Mestra em Ciências Humanas e Sociais pela UFABC e Doutoranda em Serviço Social pela PUC – SP pesquisando as culturas de resistência no Brasil – Hip hop, Cordel e Slam. Com 15 anos lançou seu primeiro cordel O tolete de Itu, participou de cordéis coletivos como Justiça Violada (2020) e Mulheres negras que marcaram a história (2021). Em 2015 começou a cantar Rap no grupo Convicção Negra até 2017. É militante do Quilombo Brasil - Movimento Nacional de Hip Hop Militante e do PSTU (Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado). Atualmente reside em São Paulo capital e compõe o Coletivo Teodoras do Cordel – Artevista SP. 


*Haverá emissão de certificado ao aluno que obtiver frequência na atividade.


Foto: Divulgação


MAPA DO SITE
Governo do Estado de SP

Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.
Consulte sobre os Cookies e a Política de Privacidade para obter mais informações.

ACEITAR